Sábado, 20 de julho de 2024

Um empate justo pelo futebol apresentado

O Internacional foi até o Estádio Heriberto Hülse, pela terceira vez, em menos de um mês, enfrentar o Criciúma, pelo Brasileirão. Desta vez, Eduardo Coudet colocou em campo um time diferente, oportunizando a titularidade para o jovem Lucca Drummond, tendo em vista a falta de opções ofensivas. Conseguimos observar um Inter competitivo e que merecia a vitória, desde que a partida tivesse apenas 45 minutos.

Coudet, mais uma vez conseguiu fazer o colorado dominar a partida e mostrar as principais ações ofensivas no jogo. NA primeira etapa o time gaúcho teve inúmeras oportunidades de definir o jogo, mas falhou no último terço do gramado. A gente sabe que o futebol nem sempre é justo e que a partida tem, ao todo, 90min. No intervalo, Chacho voltou com a mesma equipe e o Inter caiu de rendimento, ao contrário do Criciúma, que utilizou das trocas e do fator local para dominar a etapa complementar.

A partida terminou, na minha visão, com um resultado justo, observando o que ambos os times produziram dentro de campo. É claro que a gente esperava mais do Internacional, mas temos que levar em consideração que não tinha nenhum centroavante do elenco principal à disposição, não tinha Wesley e o Criciúma é um time forte dentro de casa. Porém, o que mais me chamou a atenção na coletiva, pós jogo, foi o discurso de Coudet, ao falar que o Inter não tem como brigar pelos três campeonatos.

Cabe a reflexão da direção colorado de identificar, junto ao técnico, qual troféu vão querer brigar este ano, tendo em vista que o Brasileiro é difícil, Copa do Brasil tem o clássico com o Juventude e na Sul-americana tem um compromisso difícil pela frente. E você, torcedor: qual campeonato quer priorizar?