Sexta-feira, 19 de julho de 2024

Porto Alegre anuncia plano de reconstrução

Fotos: Cesar Lopes/ PMPA

A prefeitura de Porto Alegre revelou nesta quarta-feira (19) um ambicioso plano de reconstrução para enfrentar os estragos provocados pelas recentes enchentes que assolaram a cidade. As medidas emergenciais, estimadas em mais de R$ 890 milhões, estão estruturadas em seis eixos estratégicos destinados a restaurar não apenas a infraestrutura danificada, mas também a fortalecer a resiliência urbana diante de futuros desastres climáticos.

O plano abrange a recuperação de 218 equipamentos públicos afetados, incluindo unidades de saúde e educação, além da revitalização de trechos da orla do Guaíba e outras áreas críticas. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, Germano Bremm, “Todas as estruturas que temos são resultado de décadas de investimentos. O nosso desafio, neste momento, é refazer e qualificar boa parte delas em menos de seis meses.”

Para as mais de 21 mil moradias de interesse social atingidas, estão previstas medidas para acelerar a oferta de novas habitações e incentivos para empreendimentos populares. O prefeito Sebastião Melo destacou que “Estamos plantando a semente do desenvolvimento, da resiliência, da preparação de uma cidade que vai crescer e ficar mais forte com o que aconteceu.”

Parcerias estratégicas, como a colaboração com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), serão essenciais para implementar projetos urbanos resilientes, focados na recuperação ambiental e na preparação para eventos climáticos extremos.

Além da recuperação econômica, o plano inclui ações para adaptar a cidade às mudanças climáticas, como a instalação de sensores para monitoramento de riscos climáticos e aprimoramento do sistema de alerta e evacuação. Uma plataforma digital foi lançada para garantir transparência na divulgação dos impactos das enchentes e no acompanhamento do progresso das medidas de reconstrução.

O novo Escritório de Reconstrução e Adaptação Climática, vinculado ao Gabinete do Prefeito e liderado pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, coordenará essas iniciativas até dezembro deste ano.

Porto Alegre encara agora o desafio de não apenas reparar os danos imediatos, mas também de se transformar em um exemplo de resiliência urbana e desenvolvimento sustentável, preparando-se para um futuro mais seguro e adaptável.