Domingo, 16 de junho de 2024

O ataque dos sonhos

O Internacional investiu cerca de 33 milhões de reais para contar com Rafael Borré e formar uma dupla de ataque com Enner Valencia. Porém, em 2024, os dois ainda não atuaram juntos, devido ao regulamento do Gauchão, convocações e lesões do equatoriano. Entretanto, contra o Belgrano, terça-feira, no recomeço da Sul-Americana, será a primeira vez que o torcedor colorado poderá vê-los em campo lado a lado.

Após 12 dias da retomada de treinos, o Técnico Eduardo Coudet terá seu primeiro desafio no comando colorado. A partida será contra os argentinos, líderes do grupo, o qual uma vitória, contra o Inter, garante a classificação deles para a próxima fase do torneio. Para este compromisso, a comissão técnica pretende colocar força máxima em campo e inserir um time “ideal” para o restante da temporada. Deste modo, Fernando atuará mais uma vez ao lado de Vitão, na zaga, formando um sistema defensivo mais sólido e com uma saída de bola qualificada. Outro ponto do time que será mexido é o meio de campo, com Thiago Maia, Bruno Henrique, Maurício e Alan Patríck formando este quarteto, os quais serão responsáveis pela marcação e principalmente por abastecer o ataque formado por Valencia e Borré.

Além do empecilho de ainda não ter conseguido colocar em prática este time, numa partida oficial, o elenco colorado conta com a adversidade de jogar longe do Beira-Rio. A gente sabe a importância que o Estádio tem na vida do colorado e jogar longe do seu torcedor, em outro Estado, por uma competição Internacional e decisiva, pode sim ser um problema. Ainda mais que, a Arena Barueri, não tem sido favorável nem ao Palmeiras quando manda suas partidas por lá.

Deste time que Coudet mandará a campo, fica apenas uma dúvida: quem ajudará Thiago Maia na marcação. Ter um time com qualidade técnica e um ataque promissor, encanta os torcedores, mas será o suficiente para bater o Belgrano? o Internacional necessita da vitória para ainda sonhar com a liderança, porém não pode achar que é um jogo jogado. A equipe do Belgrano não é boba e sabe a importância que essa partida tem na vida do Internacional, neste momento. Além disso, os argentinos tem um fator que pode ser fundamental: o ritmo de jogo. O Inter não entra em campo desde o dia 28\04, no empate em 1 x 1 com o Atl. Go.

Acredito numa vitória gaúcha amanhã, mas fica o alerta pelo desempenho e principalmente do comportamento do Internacional durante o compromisso. Me preocupo na recomposição tática, tendo em vista que com a posse de bola, este time, tem qualidade o suficiente para agredir o adversário e criar inúmeras oportundiades. Porém, vamos poder ver Borré, Valencia, Maurício e Alan Patríck marcando? Essa é a minha única dúvida para este jogo.