Terça-feira, 21 de maio de 2024

“O maior desastre que o nosso estado já enfrentou”, define governador Eduardo Leite

“O maior desastre que o nosso estado já enfrentou”, foi assim que o governador Eduardo Leite definiu o momento que o Rio Grande do Sul está vivendo. A declaração foi dada em coletiva no início da noite desta quarta-feira (1º). O governador revelou que a projeção é que até sexta-feira, o impacto das chuvas que atingem o estado seja maior do que as enchentes de setembro do ano passado.

Até o momento, foram registradas dez mortes, mas nas palavras do próprio governador, Eduardo Leite, o número tende a ser maior. Ao longo do dia, a Defesa Civil gaúcha emitiu alerta pedindo que populações ribeirinhas e também aquelas pessoas que moram próximo de encostas deixem as suas casas e procurem lugares seguros.

Diferente do ano passado, quando as chuvas vieram de maneira rápida e cessaram, neste momento, como a chuvas não param, as equipes de resgate estão tendo muito mais dificuldades para operar. As regiões próximas a barragens também estão em alerta. Embora o governador afirme que não existe, pelo menos neste momento, o risco de rompimentos, planos de emergência já estão em curso.

Os helicópteros do Exército que vinham ao estado tiveram que parar em Santa Catarina por conta das condições climáticas. Os municípios mais afetados, até agora, são os do Centro e do Leste gaúcho, mas, algumas bacias da área central desaguam no Oeste, e devem impactar também as cidades da região.

A previsão para a próxima noite e madrugada é de muita chuva, e os rios da região metropolitana de porto alegre devem receber o maior volume de água na quinta-feira.