Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Independência ou a morte do meu pai

Considerada por Freud uma das três mais importantes obras da humanidade Os Irmãos Karamazov, de Fiodor Dostoievski é um simpósio sobre humanidade, psicologia, literatura e entendimento do que é o tempo no qual o escritor russo vivia. A complexa relação entre filhos e seus pais. Mais especificamente entre um homem e seus filhos do mesmo gênero, são a base desta obra secularmente lapidar.

Tratar de parricídio com a maestria demonstrada pelo mestre russo, demonstra uma grandeza no pensar que poucos autores desde então tiveram a capacidade de navegar. Quando estamos diante de um mar tão bravio, quando singrar por essas águas está longe de ser um mar para almirante-de-esquadra tirar um cochilo.

São mais de 800 páginas em dois volumes, os quais são um sopro para quem gosta de uma literatura densa e envolvente, para quem mede desafios literários por simples números, pode até ser considerado um Everest em forma de livro, Mas os que se apegam aos calmos cantares de linhas relaxantes, terão um grande prazer ao devorar o drama da família Karamazov.

Todos que tenham da melhor a pior relação com seus genitores, vão se identificar em algum momento com os eventos da trama. Desta forma, conseguindo abrir espaços generosos para compreender o intuito do livro de Dostoievski, analisar a deturpação do cotidiano, elevado pelas emoções mais plenas e ao mesmo tempo mais rasteiras. Estas que nos levam a cometer as maiores loucuras.